Os seis hábitos de pessoas extremamente empáticas - Flávio Hastenreiter - Terapia Cognitivo-Comportamental
963
post-template-default,single,single-post,postid-963,single-format-standard,bridge-core-1.0.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1200,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-18.0.9,qode-theme-bridge | shared by vestathemes.com,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 

Os seis hábitos de pessoas extremamente empáticas

Os seis hábitos de pessoas extremamente empáticas

Roman Krznaric

Um cardápio para conversas

Hábito 1: Acione seu cérebro empático: Mudar nossas estruturas mentais para reconhecer que a empatia está no cerne da natureza humana e pode ser expandida ao longo de nossas vidas.

Como experiências da infância e juventude moldam sua capacidade de empatizar?

A seu ver, o que altera o equilíbrio de poder entre o Homo autocentricus e o Homo empathicus em seres humanos, e por quê?

Hábito 2: Dê o salto imaginativo: Fazer um esforço consciente para colocar-se no lugar de outras pessoas – inclusive no de nossos “inimigos” – para reconhecer sua humanidade, individualidade e perspectivas.

Pense numa ocasião em que você tenha realmente tentado se pôr na pele de outra pessoa. Que diferença isso fez?

Com que tipos de pessoa você tem dificuldade em empatizar, e por quê? Como você poderia usar a empatia para começar a transpor a barreira entre vocês?

Hábito 3: Busque aventuras experienciais: Explorar vidas e culturas diferentes das nossas por meio de imersão direta, viagem empática e cooperação social.

Qual seria seu projeto de férias ideal para mergulhar na vida de alguém de meio cultural ou socieconômico diferente do seu?

Pense num indivíduo cujas ideias políticas ou religiosas você discorde. Em que aventuras experienciais você poderia se envolver para compreender melhor seu ponto de vista?

Hábito 4: Pratique a arte da conversação: Incentivar a curiosidade por estranhos e a escuta radical, e tirar nossas máscaras emocionais.

Qual foi a conversa mais surpreendente e estimulante que você já teve com um estranho?

Qual é a maior fonte de tensão ou desentendimento na sua vida familiar? Como você poderia iniciar uma conversa para compreender melhor os sentimentos e necessidades das pessoas envolvidas?

Hábito 5: Viaje em sua poltrona: Transportarmos-nos para as mentes de outras pessoas com a ajuda da arte, da literatura, do cinema e das redes sociais na internet.

Que filme, romance ou outra obra de arte mais contribuiu para expandir sua empatia e alterar o modo como você age no mundo?

Como a cultura digital está afetando sua personalidade – sua mente, seu caráter e seus relacionamentos? Uma dieta digital ajudaria ou prejudicaria sua capacidade de empatia?

Hábito 6: Inspire uma revolução: Gerar empatia numa escala de massa para promover mudança social e estender nossas habilidades empáticas para abraçar a natureza.

Pense numa causa social ou política com que você realmente se importe. Como você poderia recorrer à empatia para levar mais pessoas a compreendê-la e fazer alguma coisa com relação a ela?

Que mudança isolada você poderia fazer em sua vida para aprofundar sua conexão empática com a natureza?

E finalmente

Qual dos seis hábitos você gostaria de desenvolver no futuro e qual é o primeiro passo prático que você teria de dar nas próximas 48 horas para isso?

Para compreender melhor sobre a Empatia e os seis hábitos listados acima, sugiro a leitura do livro:

Livro: O poder da empatia
Autor: Roman Krznaric
Ano: 2015
Editora: Zahar